Jecaboer*

Escrevo esse pitaco em homenagem a uma menina muito querida cujo nascimento eu previ com minha perspicácia e paranormalidade e que dei o singelo nome, por ninguém mais compartilhado, de Pafuncina. Para eu mesma, que sou íntima, PAFFS.

Falando em paranormalidade e assuntos boiantes afins, a gente tem um certo direcionamento na vida. Uma certa coisa que, por mais que a gente mude, por mais que a gente revire as coisas, fica inalterada. Essa coisa funciona como as pedras angulares, como pilares da nossa existência.

A gente sai de Minas, mas Minas não sai da gente, nem a pausssss! E a gente vem parar numas terras onde tudo se dá do mesmo jeitim que as coisas se passavam na nossa terrinha de outrora.

Por isso é preciso karma, MUITA karma!

(* Boer é fazendeiro em yolandês. Jeca é nóis, UAI!)

Anúncios
Esse post foi publicado em Amigos, Filosofia de cordel e marcado , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Jecaboer*

  1. rosangelae disse:

    Tá uma delícia ler os seus pitacos. Mesmo daqui, das terras Gerais, não perco.
    beijos

  2. Luciana disse:

    Trem bao demais da conta so!

  3. Paffs disse:

    que honraaaa essa homenagem! muito obrigada 😀
    adorei a frase ” a gente sai de minas mas minas nao sai da gente”
    pura verdade! mas bem que eu queria que o clima de minas nao deixasse a gente tb ahahaha

  4. Pingback: Copy Copy | 1 ou 2 Palavrinhas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s