Lixo

A gente aprende a lidar com os problemas, consegue equilibrar as vastas emoções e pensamentos imperfeitos, age de forma ponderada e solidária. Somos civilizados, gentis e educados.

Okei! E o que a gente faz com o troco? Os sentimentos selvagens, os instintos assassinos, os furores uterinos e penianos inconfessáveis e inenarráveis?

Hoje me falaram que eu sempre digo que morrer é bom. Esse é o morrer positivo: jogar fora o que é escolhemos não usar, ser ou fazer. Live and let die!

Abraçar a decisão dialética de sermos radicalmente presentes no aqui e agora, carregando nas mãos a tradição do passado e no coração nossos filhos e os nossos irmãos do futuro. Isso torna possível separar o joio do trigo. O joio é lixo.

Xô, lixão!

Anúncios
Esse post foi publicado em Filosofia de cordel e marcado , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Lixo

  1. Luciana disse:

    Xô!!

  2. Botica Sábia disse:

    Não quero luxo nem lixo, meu sonho é ser imortal meu amor!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s