Panelas, tampas, chinelos e pés

O filho tem um novo amigo.

A mãe, minha amiga, terá um novo marido, nativo do Brejo de Baixo. Dessa vez quem emigra é ele. O danado partirá no ano que vem para a Madeiravermelholândia.

E as pessoas vão se encontrando e se encaixando.

Larga na mão do universo. Para de pensar.  E destranque a porta.

Anúncios
Esse post foi publicado em Filosofia de cordel e marcado , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Panelas, tampas, chinelos e pés

  1. Rydi disse:

    Alice, obrigado pelo link, amei e vc é muito bonita 🙂 São exemplos como o seu que me dão força pra continuar à lutar, obrigado por dívidir sua experiência, vc é uma vencedora aqui nesse lugar gelado.

    abraços

  2. Cláudia disse:

    Lindo, poético pitaco.
    Gracias, querida, pelos bons momentos com você e sua família tão amorosa.
    Sim, destranquemos as portas, e arranquemos as portas de seus batentes!
    Abertos aos desafios da infinita vida!
    Lindalice…Lindaniel … e Floris.
    Nos vemos em BHagalândia….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s